domingo, 25 de abril de 2010

SETOR DE FERIDAS ATENDE EM DOMÍCILIO


O Técnico em Enfermagem Daniel Cavalcanti da Silva, nasceu na cidade de Pedra de Buíque, mas adotou Belo Jardim como sua terra. Mais do que adotar, ele desenvolve um projeto que beneficia todo o Município. Em exercício há 18 anos, há oito especializou-se em Lesões Crônicas. O profissional, que também é acadêmico de Assistência Social, é servidor da Secretaria Municipal de Saúde.

O Projeto executado na Casa de Saúde Dr. Fernando de Abreu, que funciona atualmente como ambulatório, consiste em tratar das lesões crônicas, entenda-se ‘feridas’, na casa do paciente. Isso ocorre, pois muitos deles não têm condições de se locomover até o hospital e precisam realizar curativos semanalmente.

De acordo com Daniel, a iniciativa nasceu da necessidade de unir a saúde ao social. “Eu comecei a pensar nos meus pacientes com mais carinho, buscando algo melhor para comunidade”.

Para o Diretor do Hospital, Maurílio Cavalcanti, o Projeto é muito relevante, pois humaniza o atendimento e contempla os pacientes mais necessitados e desfavorecidos financeiramente. Desde o seu início, no mês passado, já foram visitadas 118 domicílios. “Eu faço minha agenda e chego até a casa das pessoas impossibilitadas de vir ao hospital. Os meus pacientes são paraplégicos, idosos vítimas de diabetes e gangrenas que vivem em condições muito carentes. Toda tarde eu pego o transporte e atendo em várias localidades aqui de Belo Jardim”, conta o Técnico em Enfermagem.

As pessoas que precisam desde tratamento, devem levar um documento para fazer o cadastro para agendar uma visita. “Vamos de encontro ao paciente, sabemos que muitas vezes estas lesões são dolorosas e incômodas. Não podemos ficar omissos”, afirmou.

Hospital também fornece material para curativos












Para os que podem se locomover normalmente, o Setor de Tratamento de Feridas funciona de segunda a sexta-feira, na Casa de Saúde Dr. Fernando de Abreu, e conta com um cadastro de 133 pessoas que realizam a sutura das lesões vários dias durante a semana. Segundo Daniel, passam diariamente pelo local em média 40 pessoas. “Chego às seis horas da manhã e já cheguei a atender 60 pessoas por dia. Eu faço a parte curativa em uma sala e desenvolvo a parte social com eles em outra sala. Equipei a sala com cafezinho, biscoito, televisão para que eles se sintam acolhidos”, revela.

Para a manutenção das lesões, os familiares ou pacientes podem levar materiais curativos para casa, a fim de realizar a limpeza. “Após uma autorização médica, a farmácia fornece uma cobertura boa na parte medicamentosa, as pessoas que se tratam com a gente sabem disso”, ressalva o servidor. “Como profissional, é uma satisfação. O projeto foi lançado e abraçado. Espero continuar contando com a população e com o Governo para a gente desenvolver com mais intensidade”, finaliza Daniel Cavalcanti.

Veja cobertura completa da matéria, acessando: http://www.belojardim.pe.gov.br/lermateria.php?id=171

1 comentários:

daniel cavalcanti da silva disse...

Tenho a satisfaçâo de ver meu nome citado nessa matéria! e posso afirmar que estou feliz em ver que temos conpetencia para axecutar um trabalho que benéficia toda nossa comunidade belojardinense.Prabéns ! vocês que fazem a nossa cidade crescer em conhecimento tecnológico, e nas ciências humanas!

Postar um comentário